A ligação curiosa entre o deserto do Saara e a floresta Amazônica



A natureza é perfeita e podemos ver isso em seus pequenos detalhes, em seus seres vivos e em todo o funcionamento dela como um todo. E coisas que pensamos que nem estão conectadas, podem estar sim vinculadas, como por exemplo o Deserto do Saara e a nossa Floresta Amazônica.

O deserto do Saara é o segundo maior deserto do mundo e perde apenas para o deserto frio da Antártica, sendo assim o maior deserto quente do planeta. Ele fica no continente africano e o divide em duas partes, a África Subsariana e o Norte da África. Sua extensão é de cerca de 9.400.000 quilômetros quadrados e abrange dez países. As mudanças climáticas e as atividades do homem fizeram que o Saara diminuísse e aumentasse suas fronteiras com o passar dos anos.

A Floresta Amazônica é a maior floresta tropical do mundo, ocupando cerca de 600 milhões de hectares e abrangendo nove países, mas tendo a sua maior parte no território brasileiro. No Brasil, a Amazônia Legal inclui os estados do Pará, Amazonas, Roraima, Amapá, Rondônia, Acre e um pedaço dos estados do Maranhão, Mato Grosso e Tocantins. Ela está localizada em baixas latitudes e recebe uma forte entrada de energia solar e é abastecida quase que constantemente com uma massa de ar úmido. O clima nessa região é de temperaturas médias e chuvas abundantes que caem o ano inteiro.

E esses dois lugares, em pontos tão distantes no planeta, se ligam, como foi mostrado em uma nova divulgação feita que a NASA disponibilizou. No vídeo, pode ser visto uma imensa quantidade de poeira do deserto do Saara viajando mais de 2000 quilômetros para chegar até a Floresta Amazônica.

Esse vídeo é o resultado dos dados que foram coletados, entre 2007 e 2013, pela NASA e mostra um fenômeno que é conhecido pelos cientistas há anos, mas que só foi possível de ser mostrado para as pessoas agora.

O que eles estimam é que, aproximadamente, 182 mil toneladas de poeira do Saara atravessam o oceano Atlântico para chegar até a América. E desse total de poeira, cerca de 27,7 milhões precipitam-se a cada ano na bacia amazônica e 0,08% corresponde ao fósforo, que é um nutriente super importante para as plantas.

Segundo o estudo, essa quantidade de fósforo, que é vinda do Saara, é suficiente para suprir as necessidades nutricionais que a floresta perde com as fortes chuvas e inundações na região. "Todo o ecossistema da Amazônia depende do pó do Saara para reabastecer suas reservas de nutrientes perdidos", afirmou o coordenador do estudo, Dr. Hongbin Yu.

E se você está com dificuldade de imaginar como isso é possível, basta conferir com seus próprios olhos esse milagre da natureza. E por isso, temos que repeitar o planeta porque quando olhamos a fundo, estamos todos conectados uns com os outros como em um grande efeito borboleta, onde o bater de asas de uma borboleta aqui no Brasil, por exemplo, pode desencadear um tornado ou grandes mudanças meteorológicas milhas distantes daqui. E uma pequena intervenção em uma parte que achamos que não tem nada a ver conosco, pode nos influenciar de uma maneira que nem imaginamos.



55 visualizações

© 2016 desenvolvido por Indoorbrasil.

Avenida Getúlio Vargas, 757 - Centro,São Gabriel do Oeste / MS