MS tem um celular irregular bloqueado a cada 22 minutos pela Anatel



A cada 22 minutos em média, Mato Grosso do Sul tem uma linha de celular bloqueada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) após a entrada em vigor de norma que tira de circulação aparelhos que não possuem certificação, ou seja, não têm compatibilidade com as redes de telefonia no Brasil.

Segundo dados divulgados nessa segunda-feira (25) pela autarquia federal, o Estado teve desde o início dos bloqueios, em dezembro do ano passado, 5.858 celulares de uso vetado. No mesmo período, o vizinho Mato Grosso teve 4.464 aparelhos impedidos de serem usados.

Apesar de Mato Grosso do Sul ser fronteiriço com o Paraguai, ondesão comprados a maioria desses celulares de uso impedido, ainda assim fica atrás do Paraná, o outro vizinho do paraíso de compras sul-americano, que teve no mesmo período também 13.888 aparelhos bloqueados.

MS e MT, mesmo com o bloqueio iniciando no último mês do ano passado, ficam atrás proporcionalmente de Goiás e Distrito Federal na Região Centro-Oeste.

Com o bloqueio ativo desde maio de 2018, 85.970 goianos tiveram seus aparelhos irregulares bloqueados, ao tempo que 60.321 brasilienses também tiveram que adquirir um novo aparelho regularizado.

Em seu mês com maior número de bloqueios registrados, 2.234, em janeiro, Mato Grosso do Sul fica bem atrás de Goiás (14.155 em outubro do ano passado) e do Distrito Federal (6.941 em junho de 2018).

Segundo dados da Anatel,o Brasil já teve até aqui mais de 244,2 mil celulares bloqueados desde o início da operação.

Para quem acha o número alto, contudo, os dados da própria Anatel mostram que o trabalho ainda está no início. No próprio Mato Grosso do Sul, existem dois celulares irregulares para cada um que é bloqueado.

Ao todo, desde setembro do ano passado, quando começou o trabalho de identificação da Anatel, 11.232 aparelhos irregulares foram encontrados. Ou seja, 5.374 celulares que não deveriam ainda estão funcionando no Estado.

Nacionalmente, a coisa também não é tão positiva. A Anatel não fornece os dados completos de quantos aparelhos irregulares foram identificados desde o início desse ano, já sob a gestão Jair Bolsonaro (PSL) no Governo Federal, mas até dezembro de 2018, o número total passa de 2 milhões.

O grande número se deve, principalmente, pelo fato da autarquia iniciar apenas nesta segunda o bloqueio desses celulares em 15 estados: São Paulo e Minas Gerias, nos nove estados do Nordeste (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe); e em quatro estados da Região Norte (Amapá, Amazonas, Pará e Roraima).

O bloqueio nesses estados é a última fase do cronograma do Projeto Celular Legal, iniciado em setembro. A Anatel enviou 531 mil mensagens de aviso de desligamento a celulares irregulares.

O selo da Anatel é colado atrás da bateria do aparelho ou no manual do telefone.

Segundo a agência, “o celular sem certificação não passou pelos testes necessários” e “pode aquecer, dar choques elétricos, emitir radiação, explodir e causar incêndio”.

Além da segurança dos usuários, a Anatel assinala que o bloqueio reduz o número de roubos e furtos de celulares, combatendo a falsificação e clonagem de IMEIs (número de identificação do aparelho), que é único e global.

#Celular #Anatel

2 visualizações

© 2016 desenvolvido por Indoorbrasil.

Avenida Getúlio Vargas, 757 - Centro,São Gabriel do Oeste / MS