Câmara Federal aprova ida do COAF para Ministério da Economia



Por 228 votos a 221, o Plenário da Câmara dos Deputados impôs na noite desta quarta-feira, 22, uma derrota política ao ministro Sérgio Moro e ao governo de Jair Bolsonaro ao retirar o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Justiça e mantê-lo ligado ao Ministério da Economia.

Por Mato Grosso do Sul, dos oito deputados federais cinco votaram pela manutenção do Coaf dentro do Ministério da Justiça.

Os deputados Dagoberto Nogueira (PDT), Fábio Trad (PSD), Rose Modesto (PSDB), Luiz Ovando (PSL) e Loester Carlos (PSL) foram os que votaram em manter o Coaf sob a gestão de Sérgio Moro. Já os parlamentares Beto Pereira (PSDB), Bia Cavassa (PSDB) e Vander Loubet (PT) votam pelo retorno do Conselho à Economia.

Após assumir a Presidência da República, Jair Bolsonaro transferiu o Coaf do extinto Ministério da Fazenda (atual Ministério da Economia) para o Ministério da Justiça, comando por Sérgio Moro.

Partidos de oposição e do Centrão pressionaram o governo para que o órgão ficasse vinculado ao Ministério da Economia e apresentaram uma emenda, ainda na comissão, para alterar esse ponto. O plenário da Câmara confirmou a decisão da comissão e votou pelo Coaf na Economia.

Os parlamentares aprovaram ainda limitar as atividades de auditores da Receita. A proposta proíbe auditor da Receita Federal de investigar crime que não seja de ordem fiscal.

Conselho – Criado em 1998, no âmbito do Ministério da Fazenda, o Coaf é uma órgão de inteligência financeira do governo federal que atua principalmente na prevenção e no combate à lavagem de dinheiro.

#Câmara #COAF

1 visualização

© 2016 desenvolvido por Indoorbrasil.

Avenida Getúlio Vargas, 757 - Centro,São Gabriel do Oeste / MS