• Nativa FM

Escola com novo Ensino Médio zera índice de evasão em 2021


Com a proposta de um currículo flexível, que coloca em foco o interesse do aluno, o novo Ensino Médio já foi colocado em prática em 122 das 347 escolas da Rede Estadual de Ensino (REE) de Mato Grosso do Sul, cerca de 35%.

Na Escola Estadual Presidente Médici, em Naviraí, o novo currículo, atrelado ao ensino integral, resultou em uma taxa de aprovação de 98%. Além disso, os índices de evasão escolar foram zerados durante o ano letivo de 2021.

Aprovado ainda em 2017, o novo Ensino Médio deve ser implantado em todas as instituições de ensino públicas e particulares do Brasil no primeiro semestre letivo deste ano. Conforme a diretora da E. E. Presidente Médici, Sandra Passos, a instituição, que conta com 270 alunos, não enfrentou dificuldades para colocar em prática a nova grade curricular.

Desde 2017 estamos em período integral. Iniciamos o novo currículo diferenciado sem um processo custoso de adaptação, pois os nossos alunos já participavam do projeto de vida, em que o autoconhecimento é abordado”, relatou.

De acordo com a Secretaria de Estado de Educação (SED), os dados de evasão escolar são bianuais. No último levantamento, de 2020, foi constatado que a REE registrou uma taxa de abandono inferior a 1%, menos de 2.100 alunos, considerando o total de 210 mil estudantes matriculados na época.

Em relação aos índices de aprovação, o Ensino Médio contou com 85,6% de aprovados no ano letivo de 2020. O Ensino Fundamental obteve 92,8% de aprovação no mesmo ano.

Segundo Sandra, após a implementação do ensino integral em conjunto com o novo Ensino Médio, a escola de Naviraí contou com 60% de aprovação dos estudantes em universidades públicas na avaliação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Em relação ao Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), a Escola Estadual Presidente Médici obteve nota 4,9.

Entre as mudanças do novo Ensino Médio, os estudantes passam a ter a opção de se aprofundarem em cinco áreas de interesse ao longo dos três anos de ensino.

Conforme pesquisa realizada pela SED, pelo menos 34,7% dos 40 mil alunos que participaram do questionário escolheram como prioridade o Ensino Técnico.

Este é o caso da estudante Yasmin Ferreira da Silva, de 16 anos, que, ao ingressar no 1º ano do Ensino Médio neste ano, tem como objetivo a carreira militar. “Estou muito animada com a volta às aulas de forma presencial. Quero ser policial, e o novo currículo pode me ajudar”, disse.

De acordo com a diretora, o novo Ensino Médio deve mudar os rumos da educação no País. “Acreditamos, sim, que este é o caminho a ser seguido, haja vista que agora os alunos possuem a base escolar assegurada e a possibilidade de aprofundamento na área de interesse. Só isso já faz com que eles queiram ficar na escola, para, por meio do projeto de vida, sonhar com a universidade e com o mercado de trabalho”, reiterou a diretora.


Correio do Estado.

0 visualização0 comentário