• Nativa FM

Prefeitura de São Gabriel cria “Disque-Dengue” para denúncias de criadouros do mosquito da dengue


A Prefeitura Municipal de São Gabriel do Oeste, através da Coordenadoria de Vigilância em Saúde, criou um canal no Whatsapp para registro das denúncias de criadouros do mosquito Aedes aegypti. A medida visa intensificar a fiscalização de imóveis, diante do crescente aumento de casos de dengue no município.


Pelo número (67) 99815-3264, qualquer cidadão pode contar para a Administração Pública, com total sigilo, quando o vizinho não limpar o quintal de casa ou deixar o terreno baldio cheio de mato e lixo. Após uma apuração, o infrator pode ser multado, conforme legislação vigente.


Pelo Canal de Denúncias, também é possível enviar fotos e vídeos do problema. Os casos serão registrados e encaminhados para apuração dos agentes e para o setor de fiscalização.


De acordo com a coordenadora de Vigilância em Saúde, Ilaine Marocco, somente nos primeiros oito dias de 2020 já foram notificados 62 casos de dengue em São Gabriel do Oeste.


O canal visa reforçar as ações contínuas de conscientização realizadas e auxiliar os agentes de saúde e de controle de endemias na identificação dos criadouros do mosquito, também responsável pela transmissão de doenças como chikungunya e Zika vírus”, explica.


Para auxiliar as equipes de vetores, a Prefeitura reforça que medidas simples podem fazer a diferença no combate ao mosquito, especialmente durante o período de chuvas. Dentre elas vale citar: manter os quintais limpos (para evitar recipientes que acumulam água e podem se tornar criadouros); vedar as caixas d’água; proteger recipientes que acumulam água das chuvas; emborcar garrafas, latas, pneus e outros objetos que possam acumular água; colocar o lixo em sacos plásticos e manter a lixeira bem fechada; cobrir os pratinhos de plantas com areia e/ou lavá-los com lavado com escova, água e sabão uma vez por semana; utilizar repelente (que auxilia na proteção contra picadas); entre outras.


Conforme a Lei Municipal 1095, de 07 de novembro de 2017, moradores de imóveis, urbanos ou rurais e proprietários de terrenos baldios ou edificados ficam obrigados a realizar a limpeza e manutenção das áreas. Em casos de estabelecimentos que funcionem como depósitos de inservíveis ou sucatas, os proprietários devem realizar a instalação de coberturas.


A Lei ainda prevê a permissão obrigatória dos agentes de saúde para realizar a inspeção nos imóveis e informa sobre as medidas que devem ser tomadas caso aconteça a recusa do ingresso do mesmo no local. Nos casos de recusa ou oposição do ingresso dos agentes, o proprietário será notificado pela vigilância sanitária para que facilite o acesso no prazo máximo de 24 horas.


A multa prevista é de 15 UFSGO, que atualmente corresponde a aproximadamente R$ 879. Persistindo a irregularidade, a multa será aplicada em dobro.

3 visualizações0 comentário