São Gabriel do Oeste chega a 1.016 casos notificados de dengue no ano


O boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde divulgado nesta quinta-feira (12), mostra que São Gabriel do Oeste já registrou 1.016 notificações da dengue neste ano.


O município é o terceiro no ranking das 70 cidades que apresentam alta incidência, e também já registrou uma morte pela doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, de um homem de 72 anos, no dia 03 de fevereiro.


Cinco novas mortes por dengue foram registradas de acordo com o boletim divulgado nesta quinta-feira (12), e o número chega a 18 em Mato Grosso do Sul neste ano. Conforme a SES, a cidade Chapadão do Sul registrou dois óbitos, sendo um jovem, de 18 anos e uma jovem, de 21 anos que morreram nos dias 22 de fevereiro e 11 de março, respectivamente. Em Mundo Novo foi registrado um óbito de uma mulher, de 41 anos que faleceu no dia 3 de março, enquanto Dourados, segunda maior cidade do Estado, registrou um óbito de um idoso, de 61 anos no dia 31 de janeiro e Aquidauana teve uma morte de uma idosa, de 92 anos que morreu no dia 2 de março.


De acordo com a SES, as notificações por dengue chegaram a 29.793 no Estado. As faixa-etárias mais atingidas são as de 20 a 34 anos e de 35 aos 49 anos.


Febre alta, dores musculares, dor nos olhos, mal-estar, falta de apetite, dor de cabeça e manchas vermelhas pelo corpo. Os sintomas são de dengue, porém dependendo do estágio, pode facilmente ser confundida com uma gripe forte.


Mas o que fazer diante dos primeiros sinais? Primeiro é importante saber que não existe tratamento específico para a dengue, ou seja, os medicamentos são utilizados apenas para amenizar os sintomas. Segundo, é que aos primeiros sintomas, não haja ingestão de medicamentos, mas sim, repouso e ingestão de bastante líquido. E se houver a necessidade de tomar medicação para aliviar febre ou dores deverão ser utilizados medicamentos à base de paracetamol ou dipirona, de forma correta e sempre com orientação profissional. É importante buscar um serviço de saúde, pois existem remédios comuns e de fácil acesso que podem ser perigosos se forem utilizados em casos de dengue.


A principal ação que a população tem é se informar, conscientizar e evitar água parada em qualquer local em que ela possa se acumular, em qualquer época do ano. Além do Aedes Aegypti transmitir a Dengue hoje o mosquito tornou-se um dos maiores inimigos da saúde pública por transmitir também o vírus Zika e a Febre do Chikungunya, e as ações de controle do vetor são imprescindíveis.


Para auxiliar as equipes de vetores, a Prefeitura reforça que medidas simples podem fazer a diferença no combate ao mosquito, especialmente durante o período de chuvas. Dentre elas vale citar: manter os quintais limpos (para evitar recipientes que acumulam água e podem se tornar criadouros); vedar as caixas d’água; proteger recipientes que acumulam água das chuvas; emborcar garrafas, latas, pneus e outros objetos que possam acumular água; colocar o lixo em sacos plásticos e manter a lixeira bem fechada; cobrir os pratinhos de plantas com areia e/ou lavá-los com lavado com escova, água e sabão uma vez por semana; utilizar repelente (que auxilia na proteção contra picadas); entre outras.


A Prefeitura de São Gabriel do Oeste também pede que os cidadãos recebam o agente de saúde e sigam suas orientações.

© 2016 desenvolvido por Indoorbrasil.

Avenida Getúlio Vargas, 757 - Centro,São Gabriel do Oeste / MS